Vamos falar de sexo?

março 22, 2009

Kinsey - Vamos falar de sexo?

Tive o primeiro contato com um estudo sobre sexo através do filme  Kinsey — Vamos falar de sexo (EUA, 2004), visto alguns dias atrás. Nele, a vida do professor Kinsey é contada aos poucos, à medida em que responde às perguntas de uma entrevista sobre suas práticas sexuais, parte componente do estudo dirigido por ele sobre a sexualidade. Nascido em Hoboken, no verão de 1894, filho de pais metodistas ortodoxos, criado sob uma rígida moral religiosa, que toldou-lhe o pensamento e as ações durante anos em sua vida, Alfred Charles Kinsey graduou-se em biologia e psicologia pelo Instituto Bossey, contrariando a vontade do pai, que desejava que o filho seguisse carreira no campo da engenharia. Continou seus estudos em Harvard, onde doutorou-se, defendendo sua tese sobre a diversidade biológica de uma certa espécie de vespa.

Atuou como professor-assistente do departamento de zoologia da Universidade Bloomington, Indiana, por cerca de dezesseis anos, dedicando-se à entomologia (área da ciência que estuda os insetos). Casou-se com Clara McMillen em 1921, com quem teve quatro filhos. Em parte, o filme de 2004 atribui à sua relação amorosa com Clara muito do crédito de sua dedicação ao estudo do comportamento sexual humano, o qual iniciou em 1935, tendo sido então financiado pela Fundação Rockefeller. Os métodos empregados por Kinsey, entrevistas detalhadas com milhares de pessoas de todas as partes do território dos Estados Unidos, revolucionaram os parcos, insuficientes e moral e religiosamente tendenciosos estudos sobre sexo feitos até então.

Continue lendo »

Anúncios

Porky’s: A Casa do Amor e do Riso

outubro 27, 2008

Discuta esse post no Fórum Omega Geek.

Qual garoto, no auge dos seus 16 ou 17 anos, não tinha os hormônios em ebulição? Qual nunca passou por situações constrangedoras por isso? E qual nunca pensou em ir num puteiro pra perder a tão indesejada virgindade? Pois esse é justamente o plot de Porky’s (Porky’s, 1982), um filme que é justamente sobre isso: garotos tentando perder a virgindade. E isso rende cenas altamente constrangedoras e, conseqüentemente, engraçadas.


Continue lendo »


A Bula do Amor – Parte 2

setembro 21, 2008

Discuta esta postagem no Fórum Omega Geek

Ai…É O AMOOOOOOOOOOR! (Zezé de Camago & Luciano)

Esse amor, místico, inexplicável, às vezes espiritual, outras apenas físico, mas com uma força capaz de mudar nossos rumos. A idéia não é discutir a magia do amor, mas abordar o amor do ponto de vista bioquímico: os compostos químicos que atuam sobre o nosso corpo e nos transmitem todas as sensações e comportamentos que associamos a esse sentimento.

Semana passada entregamos os “culpados” por nossas “paixonites” e traduzimos quimicamente uns dos sonetos mais famosos de Camões. Descobrimos que o amor não passa de uma série de reações químicas que atuam diretamente no nosso cérebro (confiança, crença, prazer). Se você não leu a primeira parte desse artigo, trate de conferir aqui. E como prometido, seguiremos com a segunda parte da nossa Bula do Amor! Continue lendo »


A Bula do Amor – Parte 1

setembro 14, 2008

Pra variar você está na biblioteca estudando, ou na lan house checando o fórum OMG, indo pra faculdade, no ônibus… mas de repente seus olhos se encontram… Você disfarça, olha de novo… Sente aquele arrepio, fica vermelho, o coração acelera, as mãos ficam suadas e acaba se entregando.

No primeiro encontro, antes do beijo, a boca fica seca, você fica confuso, não sabe o que dizer, as pernas ficam meio bambas, a respiração difícil e esquece todos os compromissos da agenda. O mundo fica em silêncio enquanto espera aquele telefonema, aquele perfume surge no ar quando a gente menos espera… Quem aqui nunca sentiu algo parecido?

Ah….. A Química é linda!

“Hã??!… A química?!”

É isso aí! A Química! A Química do amor! Todas essas sensações, angústias e prazeres, não passam de algumas reações químicas no nosso corpo. A ciência consegue transformar aquele amor, aquele sentimento inexplicável, aquele fogo que arde e não se vê, aquela ferida que dói e não se sente… em números, equações químicas e estatísticas! Mas fica tranquilo, ainda assim, o amor é lindo! (L)

Continue lendo »


Mulheres e sexo nos quadrinhos

setembro 5, 2008
Discuta esta postagem no Fórum Omega Geek, clicando aqui

Hoje vamos pedir licença para as mulheres que lêem o BNBlog para falar de um tema mais polêmico, que já sofreu muita censura e enfrentou muitos tabus até se estabelecer como uma forma de expressão artística: os quadrinhos eróticos. Muita gente pensa que quadrinhos eróticos são apenas sacanagem, entretanto, esse estilo de quadrinhos é uma forma saudável de expressão como qualquer outra.

Neste tipo de obra geralmente quem se destaca são as heroínas. Corajosas, poderosas e muito desinibidas, elas foram conquistando espaço num mundo de heróis de malha colante e tiveram que ter muito peito, e alguns outros atributos, para conquistar seu espaço no mundo dos quadrinhos.

É importante ressaltar que os quadrinhos eróticos refletiram uma mudança na sociedade. Muitas vezes, quando de seu lançamento, causaram furor ou foram totalmente censurados, mas justamente por seu caráter ‘underground’ acabaram conquistando muitos fãs no último século. Por isso hoje vamos destacar algumas das heroínas que fizeram história e transformaram os quadrinhos eróticos em obras de arte. Então meninas nos perdoem, mas falaremos dessa mulheres que fazem a alegria dos marmanjos nas histórias em quadrinhos.

Continue lendo »