2008, um ano incomum

novembro 22, 2008

Discuta este post no Fórum Omega Geek

2008 vai ficar marcado como um ano incomum para a música, com alguns acontecimentos que quebraram algumas tradições, inclusive acabando com uma expressão que já estava virando sinônimo de “sai no Dia de São Nunca”. Abaixo, listo quatro dos acontecimentos que marcaram o mundo da música neste ano.

Iron Maiden no Brasil

Iron Maiden no Brasil

Para o Iron Maiden, possivelmente a maior banda de heavy metal do mundo, vir ao Brasil não é nenhuma novidade. Desde o primeiro Rock In Rio é conhecido o afeto que seus membros nutrem pelos fãs daqui, inclusive com a gravação de registros oficiais, como o CD e DVD Rock In Rio, gravado durante a apresentação no Rock In Rio 3 de 2001. A maior diferença da passagem desse ano é a turnê Somewhere Back In Time, em que a banda apresentou somente grandes clássicos, com músicas como Wasted Years e Rime of the Ancient Mariner, que há tempos não figuravam em seus sets.

Pra quem acompanha o Iron Maiden, sabe que esse é um grande acontecimento, já que a banda é famosa justamente por tocar ao vivo tudo aquilo que seus fãs não desejam ouvir, deixando de lado muitos de seus sucessos. Pra quem perdeu os shows, uma boa notícia: a banda já confirmou seu retorno em março de 2009, trazendo de volta a mesma turnê e incluindo elementos da turnê Early Years, que não passou por terras brasileiras, contando somente com músicas dos dois primeiros discos. Uma oportunidade única, já que tudo indica que logo a banda deve entrar em estúdio para gravar um novo álbum, voltando a fazer shows com setlists duvidosos.

Continue lendo »


Qual o papel do crítico afinal?

setembro 27, 2008

Discuta esta postagem no Fórum Omega Geek

Você deve conhecer o tipo: passa horas e horas pesquisando bandas desconhecidas pela internet,  e adora escutar coisas consideradas alternativas (embora todo mundo as conheça e já tenha ouvido uma ou outra coisa). Acima de tudo, adora demonstrar seu “grande conhecimento” criticando estilos e atribuindo notas à tudo que escuta, sempre discordando e discutindo com aqueles que se opõe à sua opinião, taxando-os de ignorantes com mal gosto.

O crítico chato foi uma figura que sempre existiu. Seja aquele coleguinha de escola que te enchia o saco dizendo que Iron Maiden é a melhor banda do mundo, e dizendo que todo o resto do Heavy Metal é “falso”, ou aquele cara totalmente “alternativo” que não aceita que exista quem ache bandas como Radiohead chatas e que não veja nada demais em seu som experimental. Com o surgimento da internet e a liberdade de escolha, essa figura se tornou ainda mais presente, seja em blogs, foruns e sites conceituados.

Algo que sempre me incomodou nesses críticos não é exatamente em si a postura de falar mal de tudo que não se encaixa em sua idéia específica do que é música boa, mas sim quando estes conseguem uma legião de seguidores para defender sua palavra e inflamar seu ego. Quando se concentra uma espécie de culto em torno do “crítico”, sua palavra passa a valer como algo quase divino, e coitado daquele que ouse discordar. Claro que existem pessoas mais qualificadas para falar de música do que outras, assim como em qualquer outro assunto, mas a principal característica que observo nos chamados “críticos” é uma mente fechada aliado ao fato de aparentemente esquecerem que gostar ou não de algo no fundo é uma questão pessoal. Continue lendo »