Pouca Vogal – Ao Vivo em Porto Alegre

março 30, 2010

banner_musica

A menor banda do rock gaúcho – esta é a forma com que se apresenta o Pouca Vogal, parceria entre Humberto Gessinger e Duca Leindecker. O número de integrantes reduzido não significa exatamente uma simplicidade sonora, visto que ambos costumam se alternar entre dois os mais instrumentos durante a realização de uma mesma canção.

Gessinger tem uma longa carreira à frente do Engenheiros do Hawaii, responsável por hits como “Terra de Gigantes”, “Infinita Highway” e “O Papa é Pop”. Já Leindecker é o líder do Cidadão Quem, banda que não chegou a explodir no cenário nacional assim com o Engenheiros, mas que possui uma fama considerável no sul do país.

O Pouca Vogal teve como origem a vontade de ambos explorarem novos caminhos musicais, o que não seria possível dentro da proposta das bandas de origem. O primeiro passo aconteceu em 2004, durante a gravação de um disco ao vivo do Cidadão Quem, no qual Gessinger fez uma participação especial.

Durante a produção do disco 7, Leindecker pediu que o líder dos Engenheiros escrevesse a letra de uma música para o álbum, que resultou na faixa “A Força do Silêncio”. A parceria definitiva veio em 2008, quando ambos anunciaram que seus respectivos grupos entravam em um hiato de duração indefinida.

O resultado foram oito canções inéditas sob o nome Pouca Vogal, liberadas de forma totalmente gratuita no site oficial do grupo. A proposta era fazer algo fora do sistema comercial, sem utilizar do nome dos Engenheiros ou do Cidadão Quem como forma de promoção.

Ao Vivo em Porto Alegre

O resultado do trabalho feito pela dupla até o momento pode ser conferido no CD e DVD Ao Vivo em Porto Alegre, montado com imagens captadas em quatro shows realizados no Teatro CIEE em Porto Alegre entre os dias 11 e 13 de março de 2009. O produto final reúne as composições recentes de Gessinger e Leindecker, além de versões novas para os grupos antigos dos quais participavam.

O destaque do show vai tanto para a direção, que conseguiu captar com grande habilidade os ângulos de câmera que melhor traduzem a experiência, quanto para a habilidade demonstrada pelos dois músicos. Fora a participação especial de alguns convidados em certas faixas, todas as outras são tocadas de maneira habilidosa somente pelos dois membros do Pouca Vogal.

Quem esperava que a falta de integrantes pudesse prejudicar o resultado final, vai ficar impressionado com a riqueza sonora produzida pela dupla. Enquanto Duca é responsável pra guitarra elétrica e ritmos de bateria, Gessinger altera de forma competente entre o violão, viola caipira e o piano, sem contar com o teclado MIDI que controla com os pés.

As participações especiais ficam por conta da presença de Luciano Leindecker e do PoA Pops, que enriquecem ainda mais as composições da banda adicionando linhas de baixo e orquestrações. O que pode decepcionar um pouco é que somente 3 das 20 faixas do DVD contam com os convidados, que poderiam ter sido melhor aproveitados.

Nos quesitos técnicos, o DVD peca pela falta de opções extras, como a possibilidade de visualizar a letras das músicas na tela ou algum material especial que servisse como incentivo para a compra. O making off do show é interessante, mas tem duração curta, e a galeria de imagens decepciona pela falta de conteúdo.

Para os fãs do Engenheiros e do Cidadão Quem, Ao Vivo em Porto Alegre é um lançamento obrigatório, que mostra como a passagem do tempo só serviu para aprimorar as habilidades artísticas tanto de Leindecker quanto de Gessinger. É claro, a experiência de testemunhar uma apresentação ao vivo é inigualável, mas as imagens captadas no disco servem como um belo aperitivo para quem procura uma alternativa aos grupos de “rock” que dominam o cenário da mídia atualmente.


Tak Matsumoto Group

maio 9, 2009

Discuta este post no Fórum Omega Geek

banner_musica

Tak Matsumoto

Tak Matsumoto

Antes de falar desse projeto, é necessária uma pequena introdução sobre quem é Tak Matsumoto. Esse nome, que pode não significar nada para quem vive no mundo ocidental, é o líder/guitarrista/compositor/produtor de um dos grupos de maior sucesso do rock japonês, o B’z. Frequentemente citado como uma espécie de Aerosmith japonês, o grupo já vendeu mais de 80 milhões de cópias de seus discos só na terra do sol nascente. A razão de seu sucesso é a versatilidade de Tak, que toca jazz, blues, funk, metal e hard rock, tudo temperado com influências asiáticas.

Em 2003, decidido a fazer um projeto que soasse ao mesmo tempo com um pé no hard rock tipicamente americano, mas sem perder a influência japonesa, Tak chamou o cantor Eric Martin (Mr. Big), o baixista/cantor Jack Blades (Night Ranger, Damn Yankees) e o baterista Brian Tichy (Ozzy Ousborne, Slash’s Snakepit) para contribuir em um álbum.

tmgO resultado foi o primeiro, e até agora único, disco do Tak Matsumoto Group, intitulado simplesmente como TMG I. Para promover o álbum, houve uma pequena turnê ao redor do Japão, culminando com um show no lendário Budokan. Como Brian Tichy não poderia participar, foi chamado para seu lugar o baterista Chris Frazier, atualmente membro do Whitesnake. O registro dessa turnê pode ser visto no dvd Dodge The Bullet, lançado em dezembro de 2004, infelizmente restrito às terras japonesas.

O álbum tem como destaque principal a incrivel habilidade de Tak na guitarra, com riffs marcantes e linhas melódicas melhores do que muitos trabalhos da era de ouro do hard rock, os anos 80. Outro mérito foi trazer Eric Martin de volta ao campo onde atua melhor, isso é, no hard rock baseado em guitarras. O vocalista, que em sua carreira solo foca no lado mais pop e romântico, aqui apresenta uma performance digna de seus melhores trabalhos no Mr. Big.

tmg-01

As músicas que se destacam são Oh Japan – Our Time is Now, que abre o álbum de maneira excelente, a pesada Kings for a Day, a oitentista Wish You Were Here e a oriental The Greatest Show On Earth. Vale ainda citar Trapped, a excelente Wonderland e Never Good-Bye, que fecha o álbum com chave de ouro e deixa aquela vontade de que o grupo tivesse produzido mais material.

Infelizmente não há sinal de que um novo disco do projeto possa surgir num futuro tão próximo. Tak Matsumoto continua com seu trabalho de sucesso no B’z, Jack Blades está de volta ao Night Ranger, e Eric Martin recentemente anunciou a volta do Mr. Big em sua formação original. Felizmente, por mais que o projeto tenha durado pouco, teve como fruto um excelente disco, recomendado principalmente para os fãs de hard rock na linha Mr. Big.


Whiskeytown

março 28, 2009

Discuta este post no Fórum Omega Geek

banner_musica

whiskeytown-02Imagine se a música de Johnny Cash tivesse surgido na década de 90, com influências diretas do punk rock e do rock alternativo de bandas como The Replacements. Difícil imaginar como ficaria uma combinação destas, não? Pois bem, todos esses elementos podem ser encontrados na música feita pelo Whiskeytown, banda encabeçada pelo cantor Ryan Adams e pela violonista Caitlin Cary.

Continue lendo »


Somewhere Back In Time Tour 2009 – Interlagos/SP – 15/03/2009

março 21, 2009

Comente este artigo no Fórum Omega Geek.

banner_musicaIron Maiden

Escrever comentários sobre um show do Iron Maiden é uma tarefa ingrata, ainda mais se tratando de uma turnê como a atual. Isso porque falar sobre shows da banda, amada e odiada quase na mesma proporção, tornou-se uma tarefa ingrata devido à repetição de expressões e clichês que se é forçado a usar.

Mas antes de falar sobre este show histórico, realizado em Interlagos no último domingo, dia 15 de Março, é necessário comentar sobre a falta de preparação demonstrada pela organização do evento. Só havia um único portão de acesso, o que obrigou mais de sessenta mil pessoas, que pagaram um bom preço pelo seu ingresso, a enfrentar uma fila quilométrica, que se estendia ainda por mais de 2km às 20h, horário marcado para a apresentação da banda.

iron-08

A camiseta citada

Eram comum ouvir reclamações de fãs indignados ao serem informados de que a banda de abertura já estava no palco e a perspectiva de entrar em Interlagos ainda era algo distante. Uma piada comum na fila era relacionada a uma camiseta promocional da turnê, onde se lia atrás “Eu Fui”. Comentários como “Eu fui… e não vi nada” ou “Eu fui… e não entrei” surgiam a cada instante entre os fãs que aguardavam pacientemente sua entrada.

Felizmente, o empresário Rod Smallwood e a banda, conscientes desse problema, decidiram atrasar a apresentação em uma hora, possibilitando que um número maior de fãs assistisse à apresentação. Depois de finalmente entrar em Interlagos e enfrentar um corredor estreito que levava ao local do show, mais uma surpresa desagradável. Continue lendo »


Tommy

março 14, 2009

Discuta este post no Fórum Omega Geek

banner_musica

tommy-03

O The Who é conhecido como uma das maiores bandas de rock dos anos 60, embora no Brasil a sensação que fique é que muitas vezes a banda é esquecida, dando-se um destaque maior para os Beatles e os Rolling Stones quando se fala de grandes ícones dessas décadas. Formada pelo vocalista Roger Daltrey, o guitarrista e principal compositor da banda, Pete Townshend, o baixista John Entwistle e o lendário baterista Keith Moon, o The Who possui até hoje grande influência na forma como o rock é feito.

tommy-02O interessante é notar que a banda serve de referência tanto par grupos com composições mais leves, que se inspiram na fase inicial de sua carreira (na qual eram reverenciados pelo movimento mod britânico), quanto para bandas mais pesadas, inspiradas por suas composições mais maduras e, principalmente, por suas explosivas apresentações ao vivo.

A banda continua ativa até hoje, embora com somente dois de seus integrantes originais. Keith Moon faleceu em 1982, devido a uma overdose do remédio que tomava para tentar se curar do alcoolismo. Já John Entwistle morreu de um ataque cardíaco decorrente do uso de cocaína, em 2002. Continue lendo »


Exodus – Fabulous Disaster

março 7, 2009

Discuta este post no Fórum Omega Geek

banner_musicaDas bandas de thrash metal surgidas na Bay Area de São Francisco durante os anexodus_-_fabulous_disaster2os 80, o Exodus provavelmente é a que se mostrou mais injustiçada, muitas vezes sendo lembrada somente como a banda da qual Kirk Hammet fazia parte antes de substituir Dave Mustaine no Metallica.

Apesar de mudanças constantes em sua formação, ter passado por dois grandes hiatos de inatividade e encarado a morte de dois de seus integrantes (incluindo o vocalista Paul Baloff, vítima de um derrame em 2002), o Exodus continua na ativa, com planos de lançar um novo álbum, The Atrocity Exhibition… Exhibit B, em algum ponto de 2009.

Porém, foco agora no passado da banda, mais precisamente no período de 1988, ano em que o Metallica apresentava ao mundo …And Justice for All, o Megadeth lançava So Far, So Good… So What! e o Slayer mostrava o resultado de seu trabalho em South of Heaven. Nesse ano, o Exodus estava em estúdio preparando o álbum que definiria sua carreira e iria diferenciá-lo de todas as demais bandas de thrash metal. Seu nome: Fabulous Disaster. Continue lendo »


Mp3, Flac e o futuro da distribuição digital

fevereiro 14, 2009

Discuta este post no Fórum Omega Geek

banner_musicaEm se tratando de método de distribuição, a verdade é uma só: cada vez mais o formato digital (representado pelo mp3) ganha espaço, e tudo indica que o suporte físico (CD) está condenado, se não ao esquecimento e desaparecimento, a ficar restrito a um público de entusiastas de suas qualidades. Mais ou menos como o vinil se apresenta hoje.

A qualidade do áudio permanece como um dos pontos nos quais os defensores do CD se apoiam quando se trata de discutir as vantagens e desvantagens da distribuição digital. Segundo eles, todo e qualquer arquivo digital perde em qualidade de som, se comparada à reprodução feita direto do cd. Quando se trata do Mp3, formato que virou sinônimo de música digital, não poderiam estar mais corretos. Continue lendo »