Pouca Vogal – Ao Vivo em Porto Alegre

março 30, 2010

banner_musica

A menor banda do rock gaúcho – esta é a forma com que se apresenta o Pouca Vogal, parceria entre Humberto Gessinger e Duca Leindecker. O número de integrantes reduzido não significa exatamente uma simplicidade sonora, visto que ambos costumam se alternar entre dois os mais instrumentos durante a realização de uma mesma canção.

Gessinger tem uma longa carreira à frente do Engenheiros do Hawaii, responsável por hits como “Terra de Gigantes”, “Infinita Highway” e “O Papa é Pop”. Já Leindecker é o líder do Cidadão Quem, banda que não chegou a explodir no cenário nacional assim com o Engenheiros, mas que possui uma fama considerável no sul do país.

O Pouca Vogal teve como origem a vontade de ambos explorarem novos caminhos musicais, o que não seria possível dentro da proposta das bandas de origem. O primeiro passo aconteceu em 2004, durante a gravação de um disco ao vivo do Cidadão Quem, no qual Gessinger fez uma participação especial.

Durante a produção do disco 7, Leindecker pediu que o líder dos Engenheiros escrevesse a letra de uma música para o álbum, que resultou na faixa “A Força do Silêncio”. A parceria definitiva veio em 2008, quando ambos anunciaram que seus respectivos grupos entravam em um hiato de duração indefinida.

O resultado foram oito canções inéditas sob o nome Pouca Vogal, liberadas de forma totalmente gratuita no site oficial do grupo. A proposta era fazer algo fora do sistema comercial, sem utilizar do nome dos Engenheiros ou do Cidadão Quem como forma de promoção.

Ao Vivo em Porto Alegre

O resultado do trabalho feito pela dupla até o momento pode ser conferido no CD e DVD Ao Vivo em Porto Alegre, montado com imagens captadas em quatro shows realizados no Teatro CIEE em Porto Alegre entre os dias 11 e 13 de março de 2009. O produto final reúne as composições recentes de Gessinger e Leindecker, além de versões novas para os grupos antigos dos quais participavam.

O destaque do show vai tanto para a direção, que conseguiu captar com grande habilidade os ângulos de câmera que melhor traduzem a experiência, quanto para a habilidade demonstrada pelos dois músicos. Fora a participação especial de alguns convidados em certas faixas, todas as outras são tocadas de maneira habilidosa somente pelos dois membros do Pouca Vogal.

Quem esperava que a falta de integrantes pudesse prejudicar o resultado final, vai ficar impressionado com a riqueza sonora produzida pela dupla. Enquanto Duca é responsável pra guitarra elétrica e ritmos de bateria, Gessinger altera de forma competente entre o violão, viola caipira e o piano, sem contar com o teclado MIDI que controla com os pés.

As participações especiais ficam por conta da presença de Luciano Leindecker e do PoA Pops, que enriquecem ainda mais as composições da banda adicionando linhas de baixo e orquestrações. O que pode decepcionar um pouco é que somente 3 das 20 faixas do DVD contam com os convidados, que poderiam ter sido melhor aproveitados.

Nos quesitos técnicos, o DVD peca pela falta de opções extras, como a possibilidade de visualizar a letras das músicas na tela ou algum material especial que servisse como incentivo para a compra. O making off do show é interessante, mas tem duração curta, e a galeria de imagens decepciona pela falta de conteúdo.

Para os fãs do Engenheiros e do Cidadão Quem, Ao Vivo em Porto Alegre é um lançamento obrigatório, que mostra como a passagem do tempo só serviu para aprimorar as habilidades artísticas tanto de Leindecker quanto de Gessinger. É claro, a experiência de testemunhar uma apresentação ao vivo é inigualável, mas as imagens captadas no disco servem como um belo aperitivo para quem procura uma alternativa aos grupos de “rock” que dominam o cenário da mídia atualmente.

Anúncios

Internet, a grande vilã?

dezembro 6, 2008

Discuta este post no Fórum Omega Geek

Ao falar de música e Internet, é impossível não tocar no assunto pirataria. Muito já foi discutido e feito em relação aos downloads ilegais. De um lado estão as gravadoras e algumas grandes bandas como o KISS, que consideram os usuários que baixam conteúdo de forma ilegal como criminosos da pior espécie. Do outro, os usuários que se defendem das mais diversas formas, seja argumentando que assim economizam muito dinheiro, ou que simplesmente só baixam aquilo que é inacessível, e assim que surgir a oportunidade, irão adquirir legalmente o produto.

PiratariaNão vou me estender muito sobre a questão das gravadoras. É fato de que os downloads ilegais causam muito prejuízo e estão diminuindo os postos de trabalhos pra quem faz parte da área. Como também é fato de que o preço dos produtos é exagerado se comparado a seu preço de produção, e que quem realmente lucra com a venda de CDs e DVDs é a gravadora, a não ser que se trate de um artista de peso, como Madonna ou U2, casos em que o número absurdo de venda de cada um de seus lançamentos já garante um lucro razoável. Continue lendo »