Black Hole

fevereiro 13, 2009

Discuta este post no Fórum Omega Geek.

banner_quadrinhos11

black-hole-cover

Seattle. Anos 70. Uma doença sem nome, disseminada pelo contato sexual, assola os jovens. Em comum, desenvolvem deformidades. Alguns são sortudos e apresentam apenas discretas protuberâncias na pele, facilmente escondíveis, enquanto que outros passam a se assemelhar mais a monstros do que a seres humanos; a esses, resta apenas um exílio auto-imposto, vivendo no mato com seus iguais como animais.

Black Hole é um trabalho autoral de Charles Burns (cujo currículo inclui ilustrações pro NY Times e outras revistas, e alguns quadrinhos independentes), que levou doze anos para completar a obra, a respeito da sua própria juventude, da descoberta das drogas e do sexo. Continue lendo »


Morte e vida no mundo da música

outubro 4, 2008

Discuta esta postagem no Fórum Omega Geek

O mundo da música está cheio de histórias de artistas que sofreram mortes prematuras, sejam causadas pelo comportamento padrão de sexo, (muitas) drogas e rock’n’roll, ou devido a acontecimentos indesejados que não podiam ser previstos. E, é claro, há aqueles que parecem verdadeiros highlanders, que viveram todos os excessos possíveis (alguns até mais do que isso), e que, mesmo assim, continuam aí para contar a história. Abaixo, uma pequena lista com exemplos de nomes que se foram cedo demais e aqueles que não se sabe como continuam vivos:

Os que partiram cedo demais:

Cliff Burton

O baixista do Metallica é creditado pelo resto da banda como o integrante essencial na definição do som característico da banda, o maior exemplo da sua contribuição sendo a música Anesthesia (Pulling Teeth). Durante a turnê européia do álbum Master of Puppets, o ônibus da banda perdeu o controle ao passar sobre um trecho da estrada em que havia uma camada de gelo, capotando e caindo de um barranco. Os outros membros escaparam com ferimentos leves, mas Burton não teve tanta sorte, sendo atirado pela janela do ônibus que, depois, parou em cima de seu corpo, ocasionando sua morte instantânea, aos 24 anos de idade.

Stevie Ray Vaughan

Um dos grandes nomes do blues, responsável pela criação de clássicos como Texas Flood, Pride and Joy e Crossfire, além de uma versão memorável para Voodoo Chile (Slight Return) de Jimi Hendrix, Stevie Ray Vaughan teve uma morte inesperada após uma apresentação junto com sua banda Double Trouble no dia 26 de agosto de 1990. Vaughan estava numa turnê junto com Robert Cray e Eric Clapton, e foi informado de que havia um assento vago nos dois helicópteros que levariam a equipe de Clapton de volta para Chicago. Enquanto o helicóptero de Clapton chegou a salvo no destino, em conseqüência do mal tempo o helicóptero em que Stevie Ray estava bateu em uma pista artificial de ski, não deixando nenhum sobrevivente e encerrando sua carreira aos 36 anos de idade.

Continue lendo »