Neon Genesis Evangelion

Evangelion 01

Quando surgiu, em 1995, Neon Genesis Evangelion representou uma revolução no que diz respeito a animes cujo foco são robôs gigantescos (mechas). Em vez de focar em alguma grande guerra entre duas nações ou apresentando os robôs como simples instrumentos para a ação humana, apresentava uma batalha contra inimigos de origem vaga, chamados de “Angels”, cada um nomeado conforme os anjos bíblicos. Os robôs em si também eram bastante diferentes, tendo um caráter até humano e imprevisível, pois podiam a qualquer momento perder totalmente o controle e agir por si próprios.

Lembro que o grande destaque dado na época pelos veículos especializados foi que Evangelion possuia diversas referências à filosofia e religião, além de explorar bem os conflitos psicológicos e as motivações de cada personagem. Também eram destaques os diversos mistérios e explicações dadas pela metade sobre qual a função real da NERV, o que eram os EVA’s e o que era o Projeto de Complementação Humana, só para citar alguns dos pontos que não são totalmente esclarecidos, apesar de algumas dicas que apontam para uma possível explicação. Mas estou divagando, vamos à sinopse da série.

O Segundo Impacto

O Segundo Impacto

No ano 2000 ocorreu o que ficou conhecido como o Segundo Impacto, um cataclisma global que praticamente destruiu a Antártica e causou a morte de metade da população humana. Oficialmente, o responsável por esse distúrbio que inclusive alterou o eixo de rotação da Terra foi o impacto de um meteoro, semelhante ao que teria causado a extinção dos dinossauros. A partir desse evento, é criada a organização chamada NERV, cujo propósito é derrotar seres conhecidos como Angels, e evitar o acontecimento de um Terceiro Impacto, que poderia trazer ao fim a vida humana no planeta.

A forma encontrada de combater os Angels foi a criação dos EVA’s, robôs gigantescos e único instrumento capaz de derrotá-los. Como seus pilotos, foram escolhidas crianças nascidas pouco após o Segundo Impacto. São elas, por ordem de convocação, Rei Ayanami, que pilota a unidade 0, Asuka Langley Souryuu, que pilota a unidade 02 e Shinji Ikari, responsável pelo controle da unidade 01. Os 26 episódios da série seguem mostrando as diversas batalhas com os Angels, as intrigas internas da NERV e os relacionamentos entre os personagens.

A cada episódio, vão aparecendo novas perguntas. O que foi o Segundo Impacto? Qual a real natureza dos EVA’s? Por que a NERV possui um Angel escondido em seu subsolo? Quais as reais intenções de Gendo Ikari e seu Projeto de Complementação Humana? Enfim, uma série de perguntas, cuja maior parte acaba ficando sem uma resposta definitiva.

Evangelion 02Assistindo à série agora, 14 anos após sua criação, fica claro que Evangelion não envelheceu muito bem em determinados aspectos. O desenvolvimento dos personagens, elogiado na época, parece algo muito simples e incompleto se comparado a diversas animações que vieram depois. Com algumas excessões, como a Major Katsuragi e a Doutora Ritsuko, parece que todos os outros tipos de personagens acabaram se tornando um clichê.

A animação da série, por outro lado, continua podendo ser considerada boa, especialmente nas cenas que envolvem lutas utilizando os EVA’s, algumas impressionantes até hoje, isso levando em conta que na época não haviam as facilidades proporcionadas pelo CGI atualmente. Apesar da qualidade da animação cair nos episódios finais, com muitas cenas sendo recicladas, é impressionante observar a qualidade geral do anime nesse quesito, ainda mais levando em conta as sérias restrições de orçamento que sofreu durante sua produção. A parte sonora também é outro destaque, com temas coerentes à cada situação e uso perfeito do silêncio quando necessário.

The End of Evangelion

The End of Evangelion

O grande problema da série original é justamente seu final. Enquanto até o episódio 24 a série segue uma ordem lógica, nos dois últimos acaba seguindo pelo caminho do nonsense, com um andamento confuso em que não se sabe exatamente o que está acontecendo. Para corrigir isso, em 1997 foi lançado o filme The End of Evangelion, que mostra o final real da série, substituindo os acontecimentos dos episódios 25 e 26.

Neon Genesis Evangelion continua ainda hoje como uma obra muito boa, e até certo ponto bastante coerente. As dúvidas não respondidas podem trazer algum incômodo, mas nada no nível de programas como Lost. O importante é só não deixar o culto que se criou ao redor da série influenciar sua opinião, já que infelizmente a série, apesar de bastante competente, está longe de ser genial.

Evangelion 03

Anúncios

10 Responses to Neon Genesis Evangelion

  1. Matheus Lins disse:

    Minha maior birra com a série é a saturação de fan-service, os quais chegam ao nível do constrangimento nos primeiros episódios, com closes bizarros e sem sentido, totlamente inorgânicos à narrativa, inclusos apenas apra agradar o fandom punheteiro.

  2. Muito legal. Este seria uma boa maneira de inaugurar um tópico para Neon Genesis Evangelion no OMG.

  3. Leandro disse:

    “O importante é só não deixar o culto que se criou ao redor da série influenciar sua opinião, já que infelizmente a série, apesar de bastante competente, está longe de ser genial.”

    É importante também não deixar a opinião dos blogs influienciar nossa opinião, concorda?

    Se a série é genial ou não cada um deve decidir por si só APÓS vê-la.

    Portanto é uma observação ridícula para se por em uma sinopse, principalmente na de um anime tão polêmico como esse.

    A maioria das respostas podem ser alcançadas se o anime for visto com atenção e se o espectador tiver o mínimo de raciocínio. Já as demais respostas ficam apenas sugeridas e cabe ao espectador completar o raciocínio.

  4. Kyo disse:

    “É importante também não deixar a opinião dos blogs influienciar nossa opinião, concorda?”

    Parcialmente.

    Eu achei seu comentário desnecessário simplesmente porque você não entendeu o objetivo do post. Não é simplesmente fazer uma sinopse. Isso você consegue indo no Wikipedia, e meu objetivo não é fazer simplesmente um resumo do que acontece na série.

    Como texto opinativo, reflete minha impressão pessoal sobre a série. Em nenhum momento minha intenção foi ser imparcial (até mesmo porque imparcialidade é um mito criado como forma de defesa de quem não quer defender o que pensa).

    Portanto não, não é ridiculo eu dizer que a série é boa, mas não é genial. Essa é a minha opinião, e o leitor tem o direito de concordar ou discordar dela. Só peço que caso discorde, me dê argumentos melhores do que “é uma observação ridícula para se por em uma sinopse” (especialmente quando não se trata de uma sinopse).

  5. Leandro disse:

    Entendo. Mas então se não é uma sinopse, por favor não anuncie que é uma.

    “Mas estou divagando, vamos à sinopse da série.” E melhor, anuncie quando ela termina e começa a sua “resenha” também. Acredite, isso é importante.

    Não vou prolongar a discussão, pois dizer “seu comentário foi desnecessário” foi o maior pecado que um blogger poderia cometer. Se você não quer comentários aqui, eu não sei nem porque você perde seu tempo postando.

  6. Kyo disse:

    Não anunciei como uma sinopse, simplesmente porque acredito que fica bem claro pra qualquer um que lê o texto que seu propósito não é este.

    Trata-se de um texto claramente opinativo, no qual é incluso uma pequena sinopse da série como forma de situar quem nada conhece dela sobre a história e personagens.

    Fazer algo no esquema “então, aqui termina a sinopse e começa a opinião” é totalmente desnecessário, já que é fácil perceber qual o caráter geral do texto após a leitura.

    E minha referência ao “comentário desnecessário” não foi ao fato de você ter comentado aqui, mas sim por ter apresentado algumas idéias de maneira desnecessária, já que não entendeu o propósito do texto após a leitura. Mas realmente, eu não devia ter usado a palavra comentário, devia ter usado um substituto que explicasse melhor minha intenção.

  7. Newba disse:

    “está longe de ser genial.”

    Adorei o texto divulgando o desenho que realmente é bom mas só pecou nesta afirmação acima amigo…

    Fala pra mim quantos animes atualmente vc assistiu e que chegaram perto do que foi e é o eva? Evangelion foi divisor de aguas no anime assim como foi astroboy, sua descontinudade de informaçoes fez surgir animes como naruto, bleach e onepiece que seguem a mesma linha…informaçoes jogadas e vc nao sabe de nada…

    Sim eva foi genial e ate hj acompanho….se alguem estiver procurando um anime realmente bom assis eva e deixe o naruto amiguinhos pra depois…

  8. Rigward disse:

    Realmente pecou uma resenha muito boa com esse trecho e também o trecho de “personagens clichê”, pois todos que assistiram EVA até o último episódio conseguem notar que a idéia era logo essa, mecher com os clichês e explorar o lado oposto deles, Shinji que parecia ser o clichê de “herói bundão” se mostra muito mais complexo do que isso e desperta nos que assistem/leem um desprezo por ele ser tão fraco, covarde e ao mesmo tempo mesquinho e frio, Shinji é com toda certeza o personagem principal menos carismático que já foi feito, e impossível falar que Shinji é um personagem clichê depois de ver ele surtar no filme ou ter transtornos psicológicos no 25/26. Rei que parece ser a típica mocinha “garota quietinha do fundo da classe” se mostra um ser com depressão profunda, crises existenciais complexas e dificuldade em expressar sentimentos expostos de uma forma bem degradante pelo autor. Asuka que se demonstra a típica personagem “orgulhosa e egocentrica” mostra que na verdade é apenas uma criancinha que sente a falta da mãe e nessecita de aprovação constante dos outros para se sentir bem consigo mesma. Gendo que parece ser o tipo “pai frio e incensível” se mostra um homem fraco e um pai amoroso que tem medo de machucar o filho por omissão assim preferindo se distanciar dele. Isso sem contar Kaji que faz o tipo “Garanhão despreocupado” e na verdade é um homem gentil que realmente ama Misato, Ritsuko que aparenta ser a “Mulher Forte” da série e se mostra uma fracassada em questão de relacionamentos, tanto amorosos como familiares, Misato que parece ser a “Personagem Fan-Service” e na verdade é só uma pessoa solitária que quer se sentir amada pelo pai e busca encontrar isso em outros homens (complexo de Elektra), ou ainda Fuiyutsuki que parece ser o “Vice-Chefe Modelo” quando na verdade é apenas um professor tentando reencontrar sua aluna. Se isso não é genial o que é então? Shin-Chan e Naruto? –‘

  9. nao posso falar nomes nem apelidos disse:

    cara entendi todo a serie TODA mais uma parte eu me encuquei queria saber no episodio que asuka estava internada shinji foi ate ela e comesou a puxala ate
    virar e mostrar seu corpo nu,ele feis oque(colocou a
    mao no corpo e nas partes intimas dela,tocou uma nervosa pensando nela,ou comeu ela???)So nessa parte eu me encuquei,no anime so mostra o son da respirasao dele avançada poderia ser quarquer coisa que ele tenha feito…=/
    ae lembrei no final depois que o mundo acabou
    asuka olha pra ele e fala (ODIOSO)O.o
    Oque sera que acontece depois na istoria ela morre
    ele mata ela os dois continuam vivos
    eles continuam a raça humana oque acontece sera…
    vlw agradeceria-se vo6 me respondecen fui….

  10. Falar mal de LOST é realmente coisa de quem não entendeu merda nenhuma de Evangelion, pra mim, um completo ignorante, me perdoe, mas não aguentei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: