PLUTO

Discuta esse post no Forum Omega Geek

banner_quadrinhos11pluto-021Naoki Urasawa conseguiu fama mundial através de Monster, mangá publicado entre 1994 e 2001, que mistura elementos de ação, investigação policial e referências bíblicas de forma genial, fugindo dos clichês tão comuns nesse meio. Seu projeto mais recente, PLUTO, apesar de não ser uma obra totalmente original, carrega em cada página o estilo sombrio de seu autor.

Baseado na saga O Robô Mais Forte do Mundo, da série Astro Boy, criado pelo “Deus do Mangá”, Osamu Tezuka, PLUTO recria com tons mais realistas e profundos o universo de Astro Boy, desenvolvendo muito mais a personalidade e motivações dos personagens do que o mangá original.

O foco aqui é o robô policial Gesicht, detetive da Europol, que começa a investigar uma série de ataques aos assim considerados robôs mais fortes do mundo e à pessoas relacionadas a esses. Suas investigações o levam a reencontrar antigos companheiros do passado e a reviver os eventos de uma guerra recente contra o país de Tracia, onde todos esses robôs acabaram se envolvendo de alguma forma.

Conforme os robôs mais fortes do mundo são eliminados um a um, Gesicht se aproxima mais das causas que levaram ao surgimento de PLUTO, um robô criado com o objetivo único de destruir todos aqueles que levaram o reino de Tracia à ruína.

A versão de Urasawa para Astro Boy

A versão de Urasawa para Astro Boy

Porém, o foco do mangá não fica somente nas investigações de Gesicht, mas também no desenvolvimento dos personagens. Urasawa apresenta questões como a forma que robôs cada vez mais desenvolvidos e próximos do comportamento humano afetam tanto humanos quanto robôs menos desenvolvidos, e como tanto robôs quanto os humanos encaram a existência de Astro Boy, único robô sofisticado o bastante para viver a experiência dos sentimentos verdadeiramente humanos.

Enquanto pode-se simplesmente classificar PLUTO como um Astro Boy para adultos, isso seria subestimar a qualidade do trabalho de Urasawa. Utilizando-se de um argumento que, nas mãos de um autor menos talentoso, poderia se tornar mais uma história clichê focada em combates, ele consegue tratar de temas considerados “pesados”, como filosofia e sentimentos, sem cair em lugares-comuns, nem tampouco tendo a pretensão de dar as respostas definitivas sobre o tema.

Recomendado tanto para fãs de mangá que procuram algo mais maduro, quanto para aqueles que querem iniciar-se nesse mundo e não suportam as histórias que se tornaram clichês nos quadrinhos japoneses.

Anúncios

One Response to PLUTO

  1. Matheus Lins disse:

    Quando vi o título, por um instante pensei que se tratava do meu cachorro, haha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: