Planetary: Os Arqueólogos do Impossível – parte final

Discuta este post também no fórum OmegaGeek

 

Olá queridos leitores. Conforme combinado na semana retrasada encerraremos hoje o segundo arco de histórias de Planetary, cheio de intrigas, reviravoltas e missões impossíveis. Recapitulando. A última edição foi Memory Cloud, na qual Snow descobre a identidade do The Fourth e declara guerra aos vilões manipuladores da história, o grupo conhecido como Os Quatro. Então cehga de perder tempo e vamos ao arco final.

 

Century

É uma das histórias mais legais da série. Com um clima de suspense, meio dark, somos re-apresentados a personagens conhecidos da literatura como Drácula, Frankenstein e Sherlock Holmes. Na verdade a edição gira em torno do encontro de Elijah com o mais famoso detetive da literatura. Em Century descobrimos a ânsia de Snow por conhecimento e como ele foi treinado pelo personagem criado por Sir Arthur Conan Doyle na arte de solucionar mistérios. A história é uma clara homenagem a premiadíssima obra A Liga Extraordinária, de Alan Moore.

Zero point

Em Zero point a ação divide-se em dois flancos. No primeiro momento acompanhamos Snow e um cientista descobrindo um misterioso cajado que ao ser tocado transforma-se em uma martela dourado, cheio de poderes. Esse martelo dá acesso à outra dimensão, a qual Elijah investiga e descobre uma verdade aterradora a respeito de como um mundo inteiro foi aniquilado para ser transformado em depósito de armas. Na segunda parte da história acompanhamos os agentes de campo de Planetary, com Ambrose ainda vivo numa missão enfrentando os Quatro. Nesta edição descobrimos como a memória de Snow foi apagada.

Creation Songs

Esta edição nos leva até a Austrália com um conto antigo de uma tribo aborígene a respeito da origem do mundo e de grandes deuses adormecidos. Magia e ciência envolvidas num mistério que pode significar o destino do mundo se cair em mãos erradas. Nessa edição também vemos Snow e Jakita em uma visita para honrar a família de Ambrose Chase. Somos também apresentados a um herói, um explorador chamado Carlton Marvell que estuda o acesso a outras dimensões. Marvell a princípio evoca o herói Kree, Capitão Marvel, mas o uniforme e a atividade de Marvell também lembram um famoso herói da era de ouro, Flash Gordon.

Hark

Como o próprio título já diz, a edição é toda focada em Anna Hark. A misteriosa presidente/diretora/dona da Corporação Hark. Esta organização, como visto anteriormente, está envolvida em diversas tramas narradas por Ellis até agora. Nesta edição ficamos sabendo quem é Anna Hark, heroína ou vilã? Seu envolvimento com os Quatro e temos ainda o encontro de Snow com Anna Hark, que definirá as investida contra os vilões daqui pra frente. Jim Wilder, o homem que ganhou super-poderes na edição 4, reaparece e descobrimos que o fato dele ter ganho os poderes não foi um mero acaso.

Opak-Re

Em Opak-Re temos homenagens a dois personagens. Tarzan e Kazar, o herói da Terra Selvagem. Opak-Re é uma civilização perdida, isolada do mundo no meio de uma floresta afastada, cercada por animais ferozes como dinossauros gigantes (mais uma referência que nos leva a Terra Selvagem). Acompanhamos a visita de Snow a cidade da floresta e aqui é revelada a origem de Jakita Wagner que é filha de Anayakah, uma bela e sedutora cidadã de Opak-Re que ao final da edição dá a Snow um importante presente.

The Gun Club

É uma história leve, uma homenagem a todos os cientistas fascinados pela exploração do espaço. Mesmo aqueles que enfrentam dificuldades para conseguir chegar mais perto das estrelas. A história de passa no Texas, onde os membros de Planetary, seguindo uma dica de John Stone, vão investigar um objeto que estava orbitando a terra há 150 anos, e cai novamente em nosso planeta em Austin. Esse é o tipo de fato que com certeza chamaria a atenção dos Quatro. Por essa razão Snow e seus colegas preparam uma armadilha e confrontam William Leather novamente. Nesta edição somos apresentados ao Gun Club, um grupo de homens que em 1850 lançou-se ao espaço. Aqui Warren Ellis aproveita para homenagear Julio Verne e uma de suas mais conhecidas obras: Da terra a lua.

Mistery in space

Uma gigantesca nave orbitando a terra a centenas de anos é o foco dessa história. A edição 19 de Planetary nos leva numa trama que parece ter saído diretamente de um episódio de Arquivo X. Um bom episódio. Além da espaçonave gigante somos apresentados a três anjos, capturados por Snow na década de trinta, mas estes anjos são muito mais que os anjos bíblicos e são enviados para investigar a espaçonave. A cena descrita brilhantemente por Ellis nos mostra a morte de uma criatura gigantesca que lembra o personagem Galactus, o devorador de mundos da Marvel. Nesta edição mais um membro d’Os Quatro cai perante os membros de Planetary. Ellis homenageia ainda nesta edição a série de ficção científica Mistery in space, lançada pela DC Comics na década de 50.

Rendezvous

Em Rendezvous continuamos a acompanhar a expedição dos anjos pela nave-mundo e vamos descobrindo maravilhas como seres humanóides que lembram vaga-lumes, mais um brinde a arte de Cassaday. O destino de Jacob Greene, o pedregoso integrante do grupo os Quatro, também é decidido nesta edição. Enquanto isso, na terra, Snow e Jakita têm uma grave discussão na qual a heroína não reconhece mais o colega de equipe e questiona suas atitudes.

Death Machine Telemetry / The consultation

Uma das histórias mais mirabolantes e psicodélicas que joga o nível, tanto artístico quando textual nas alturas e mostra porque a dupla Ellis/Cassaday foi tão laureada nesta obra. Nesta edição Snow visita uma misteriosa mulher chamada Melanctha, uma feiticeira/cientista, a qual pode ter as respostas para o protagonista sobre como enfrentar e derrotar de uma vez por todas Os Quatro. Melanctha oferece um chá para Elijah e a partir daí a realidade se dobra e acompanhamos o personagem numa viagem rumo ao autoconhecimento.

The Torture of William Leather

A história começa acompanhando Jonh Leather, o avô do vilão William Leather, e seu irmão que são torturados por uma gangue liderada por um homem chamado Dowling. A história toda é narrada pelo próprio William, que está preso dentro de uma das sedes de Planetary e revela seu passado e do próprio Dr. Dowling, líder d’Os Quatro. William conta que seu pai Bret Leather foi um dos heróis que lutaram com Doc Brass, na edição número um, contra a invasão extra-dimensional. E assim Ellis vai costurando magistralmente o universo de Planetary, interligando histórias e trazendo de volta personagens apresentados nas primeiras edições.

Percussion

Como o próprio título já dá a dica é uma história focada no simpático baterista do grupo. Nesta edição descobrimos como o escravizado Drummer foi recrutado, ainda criança, para trabalhar com os outros membros de Planetary e vemos a origem de seus poderes. A deliciosa insanidade adolescente do personagem é um dos traços mais divertidos apresentados nessa edição. Percussion quebra um pouco o ritmo tenso das últimas edições preparando terreno para o fim do arco que se aproxima.

Systems

Em alguma das edições anteriores descobrimos a existência dos Planetary Guides, os diários de Elijah Snow. Esta edição elucida alguns pontos que não estavam meio claros. Qual o objetivo de Snow e do Planetary como organização. Porque Dowling não destruiu os heróis quando teve chance. Tudo isso é explicado num bunker/biblioteca onde estão guardados todos os Planetary guides. A explicação de Snow é interrompida pela destruição total da sede onde os heróis se encontram, por meio de um raio lançado por Dowling de um satélite.

In from the cold

Em In from the cold a história é novamente dividida entre dois pólos.No primeiro a verdade vem a tona a respeito do agente secreto John Stone e a equipe de Planetary vai até o fim para encontrar Stone e solucionar um dos últimos mistérios de Planetary. Em outro ponto a história conta exatamente como Os Quatro conseguiram seus poderes e o que aconteceu com eles no espaço. Cassaday faz aqui uma homenagem a Jack Kirby, famoso desenhista, com seu planeta distorcido que remete diretamente a Apokolips, o planeta natal de Darkside, vilão das histórias de Superman.

Edição 26

Esta edição não tem um título, apenas a imagem de Elijah Snow como um quebra cabeça e segurando a última peça. Brilhante. Aqui temos o confronto final entre Dowling e Snow e o destino do mundo é decidido com uma troca. Jim Wilder aparece novamente nesta edição e a equipe de Planetary vai alçar novos vôos. Confesso que esperava mais dessa edição, pois, depois de tantas tramas intrincadas, imaginava um final cheio de reviravoltas, apesar da solução encontrada por Elijah ser inteligente.

Infelizmente a série acaba aqui. Espero ter passado aqui, pelo menos de relance, o quão interessante é esta série e que vocês também queiram desvendar os mistérios que envolvem Planetary e os arqueólogos do impossível.

2 respostas para Planetary: Os Arqueólogos do Impossível – parte final

  1. Silva disse:

    Se quiserem bixar os gibis pra ler, só ir aqui:

    -> http://volcano.net46.net/viewtopic.php?f=1&t=21

    Recomendadíssimo.

  2. Silva disse:

    Se quiserem bixar os gibis pra ler, só ir aqui:

    -> http://volcano.net46.net/viewtopic.php?f=1&t=21

    Recomendadíssimo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: