Games bem além do entretenimento (Parte 1 de 2)

outubro 2, 2008

Discuta esse artigo no Fórum Omega Geek

Na semana passada, prometi que mostraria por que os video games se tornaram uma importante mídia e como, conseqüentemente, sai perdendo quem pára no tempo e não se adapta a ela. Chegou a hora de dissecar o mundo dos games.

Jogos como GTA representam algo além de uma forma de diversão?

Jogos como GTA representam algo além de uma forma de diversão?

No que se refere aos games como meio de entretenimento, não é de agora que seu potencial se evidenciou. Já no ano passado os lucros da indústria de games superaram os lucros da gigantesca indústria cinematográfica, colocando os games de vez na rota dos grandes investimentos em entretenimento. Os games também representam uma mudança importante na forma de se entreter, pois, em comparação a cinema, tv, jornal e revistas, por exemplo, exige a partipação ativa do interlocutor e não somente sua atenção e “passividade” na geração do conteúdo. Conseqüentemente, parte do conceito que a internet 2.0 propõe hoje, o video game já faz por natureza.

Agora, você já parou pra pensar no que o video game nos ensina – ou poderia estar ensinando – se seu potencial fosse usado adequadamente? Parte dos benefícios do Video Game requerem apenas que você o jogue em seu estado atual, como plataforma de entretenimento. Jogos populares, como GTA, trataram de fazer sua parte, ensinando a você mais do que você imagina. Por trás da interação com o jogo, no que pode parecer uma jogatina descomprometida, está o trabalho cognitivo e um leque cada vez mais amplo de trabalhos de raciocínio e inteligência. Continue lendo »