As páginas mais visitadas no Brasil e no mundo

abril 16, 2008
Quem nunca parou pra pensar em quais são as páginas mais visitadas da internet? E quais serão as páginas mais visitadas no Brasil? Pois bem, seus problemas acabaram. Esse serviço é prestado e apresentado em um só site. E, melhor, de graça.


O site Alexa.com apresenta indicativos relativamente detalhados sobre esse acesso e ainda que não discorra sobre o perfil daqueles que acessam (como empresas como a Nielsen e o Ibope Net Ratings fazem por amostra), apresenta dados no mínimo interessante.

Você pode ter acesso a todos os rankings. O mundial, o dividido por países, línguas e até por categorias. Se estiver com preguiça de procurar isso no site, é só clicar aqui e usar a barra da esquerda para escolher a opção desejada. Se estiver com mais preguiça ainda, apresento agora os ” tops” importantes. Alguns surpreendem, outros não.

Ranking de acessos globais

Estranho pra muitos brasileiros, o Yahoo tem muita força lá fora. Isso garante a sua liderança de acessos mundialmente. Mas, não se engane, o Google divide sua atuação POR PAÍS, por isso é possível ver que ele ocupa MUITAS posições no top 100, com Google Brasil, Google Índia e outros tantos “googles” que somados em audiência, ocupam tranquilamente a primeira posição.

Pois bem, querendo ou não o Google.com fica ainda com a segunda posição, seguido por seu também comprado Youtube, bem conhecido dos brasileiros que adoram usurpar tudo que é de graça (só estou falando a verdade, porque eu também levo ketchup do Mc Donald’s pro escritório e shampoo de hotel pra casa)

Entrando nas estatísticas do site dá até pra ver algumas coisas interessantes como o fato de quase 50% das pessoas entram no Yahoo e usarem o e-mail. Daí você já consegue perceber porque tantas empresas te oferecem e-mail “de graça”.

Destaques:

#5 Windows Live (MSN) – É… o bicho é forte, destruiu o ICQ e veio pra ficar.
#6 Myspace – Empurrado principalmente pelos americanos. É o Orkut dos gringos.
#7 Wikipedia – Tornou-se referência, está no topo dos sites de busca, ganhou notoriedade e muita, muita audiência.
#9 Blogger – Yay.
#12 Rapidshare – Tornando o acesso a material ilegal mais rápido e fácil.
#26 Photobucket – Vai subestimando! Daqui a pouco vai ser comprado e os donos vão ficar ricos.
#35 Youporn – Deu uma risadinha, né safadão?
#49 Redtube – Tá achando que ia ser só a #35?
#52 Mininova– Milhões de torrents ao alcance de alguns cliques.
#57 Fotolog – Capota mas não breca.
#58 UOL (Universo Online) – É, bichão, no Brasil tem muita gente que não tem nem energia elétrica, mas nossa internet é forte.
#95 Gamespot – Não gosto muito da Gamespot, mas é noiXxXxxxX nos games, porra!

Ranking de acessos do Brasil

Esse chega a ser mais interessante, pois se por um lado as primeiras opções são pouco surpreendentes, algumas são no mínimo inusitadas. Vale a pena ver a lista toda e conferir algumas surpresas, caso o post não seja suficiente.

O primeiro lugar não é nenhuma surpresa pra ninguém. O Google tá dominando o mundo e ninguém mais acha isso assustador. O Orkut virou uma febre no nosso país e os únicos que resolveram compartilhar a onda foram os indianos (vide detalhes de acesso do Orkut que mostram a índia com quase 30% dos acessos). Antes de implementarem uma separação por nacionalidade no sistema, os brasileiros chutaram os americanos, que deram de cara com o Myspace. O que rolou depois todo mundo já sabe, até o padeiro tem perfil no orkut aqui na nossa terra. O Alcance o Orkut é um dos maiores da internet.

Isso significa que se uma pessoa tem internet, as chances dela ter um perfil no Orkut é enorme. Em números de fontes confiáveis não reveláveis, adianto que o Orkut tem um “reach” de quase 90% da internet brasileira (lembrem-se, considerando SEMPRE quem TEM ACESSO A INTERNET).

Pois bem, o buscador Google em segundo, sem surpresa alguma e o buscador do Windows em terceiro, sem muita surpresa também.

Destaques:

#4 – Uol – Tradicional e sempre na frente. Consolidado.
#5 – Google – Pois é, em segundo e em quinto. Acontece que o segundo é o Google Brasil e o quinto é o Google internacional! Dá-lhe dominação mundial
#6 – Youtube – A tendência é subir!
#10 – Blogger – É NoiXxxxXXxXx!!
#20 – Americanas.com – Tá na frente até do Submarino. Acredite.
#28 – Redtube – Vivaaaaa!
#41 – Youporn – Vivaaaaa!
#52 – Pornotube – Vivaaaaa!
#89 – Seu Pornô – Vivaaaaa!
#91 – Omelete – É noixXxXxX
#94 – Naruto Project – Wut?!?

Resumindo: Internet is for porn


Imagem do dia (3)

abril 16, 2008

Regente Cósmico. Sempre lurkando por trás.

Nerds @ work

abril 16, 2008

Venho dar uma dica para quem não quer mais depender do papai e/ou da mamãe.

Pra quem não sabe, eu trabalho na área de consultoria da IBM, lidando diretamente com o controle de salários, benefícios e prêmios dos consultores.
A boa notícia é que para os nerds sempre tem vaga na IBM. A demanda por profissionais especializados em CRM, Supply Chain e principalmente SAP é gigantesca, isso sem falar em profissionais de administração e economia. Para esses, mesmo que fora da consultoria, tá facinho de arrumar uma vaga. Para um profissional recém contratado, de nível “júnior”, o salário médio é de R$ 2.700. Além disso, a IBM tem muitos benefícios e um plano de carreira muito bom.
Para os nerds que ainda não se formaram, tem o programa de estágio. O salário varia de acordo com o seu nível de inglês e carga horária. Para o estágio em período integral (8h/dia, com 1h de almoço) e com inglês avançado/fluente, o salário é de R$ 1.255. A taxa de efetivação é de 60%, mas varia muito de área para área. Posso dar a certeza de que nunca desperdiçam um bom profissional.
Pra quem quiser tentar entrar na campeã de patentes, no site de recrutamento da IBM é possível fazer inscrição e ver vagas disponíveis em diversas localidades do Brasil. Se não tiver uma vaga que “case” com você, deixe seu CV mesmo assim, pois todo mês há novas vagas e se seu CV já estiver no banco de dados, terá prioridade. Acreditem, essa é a forma que a IBM contrata cerca de 90% dos profissionais.

É isso. Pra quem quiser mais informações, pode perguntar via comentário e eu respondo por lá mesmo.

Ahh sim, a fonte desses dados são os meus relatórios mensais, vindos diretamente do DB de Recursos Humanos.